domingo, 26 de abril de 2020

Nasa cria respirador barato e com licença gratuita para combater Covid-19



Engenheiros da NASA desenvolveram protótipo de respirador mais barato e mais prático em apenas 37 dias (Foto: Divulgação NASA/JPL-Caltech) 
Para ajudar no combate à pandemia do novo coronavírus, a Nasa desenvolveu um protótipo de respirador mais barato e prático. Feito sob medida para pacientes com Covid-19, o aparelho já foi aprovado em um teste importante realizado na Escola de Medicina de Icahn no Hospital Monte Sinai, nos Estados Unidos.
Engenheiros do Laboratório de Propulsão a Jato (JPL, na sigla em inglês) da agência espacial americana passaram a se dedicar ao projeto devido ao estoque limitado de ventiladores mecânicos que está disponível nos hospitais dos Estados Unidos. O respirador foi batizado de VITAL, e pode ser construído mais rapidamente do que um modelo convencional. E como é composto por menos peças, seu custo é menor.
Além disso, o aparelho tem um design adaptável, e pode ser utilizado tanto em hospitais de campanha quanto em centros de convenções, hotéis e outros tipos de estabelecimentos que recebam um grande número de pessoas. No entanto, a Nasa aponta que o novo ventilador não deve substituir os aparelhos existentes em hospitais, que funcionam por anos. O VITAL foi feito especificamente para casos de Covid-19, e deve durar entre três e quatro meses.
"Nós somos especializados em naves espaciais, e não na fabricação de dispositivos médicos", disse em comunicado o diretor do JPL da Nasa, Michael Watkins. "Mas engenharia excelente, testes rigorosos e rápido desenvolvimento de protótipos são algumas de nossas especialidades. Quando os integrantes do JPL perceberam que tinham o necessário para ajudar a comunidade médica e científica em geral, sentiram que era seu dever compartilhar sua habilidade, expertise e dinamismo", adicionou.
A esperança da agência espacial é que a invenção seja aprovada rapidamente pela Administração de Alimentos e Medicamentos dos Estados Unidos (FDA, na sigla em inglês), a partir de uma autorização de uso de emergência que é especial para situações de crise. O VITAL terá licença gratuita, e fabricantes da indústria médica já estão sendo contatados para produzi-lo.

Fonte: Revista Galileu

Nenhum comentário:

Postar um comentário