quarta-feira, 29 de abril de 2020

EUA relatam ‘boas notícias’ contra a covid-19 em testes de droga criada para o ebola

EUA relatam ‘boas notícias’ contra a covid-19 em testes de droga criada para o ebola
Foto: Getty Images
O médico consultor de saúde do governo americano, o especialista em imunologia Anthony Fauci, afirmou hoje que a primeira etapa de testes do remédio remdesivir, da biofarmacêutica Gilead Sciences, mostrou "boas notícias" no combate ao novo coronavírus.
Fauci afirmou a repórteres durante coletiva de imprensa na Casa Branca que os dados teriam revelado “um efeito claro de corte no tempo de recuperação” da covid-19.
As notícias animam cientistas, governos e mercados também porque o remdesivir é estudado desde 2015, quando demonstrou eficiência no combate à epidemia de ebola na África. A droga antiviral, que atrapalha o processo de reprodução do vírus ao fazer com que ele copie também moléculas da droga, também vem sendo testada contra vírus menos conhecidos que possuem material genético formado por uma fita de RNA, assim como o novo coronavírus. Por isso, é considerada no meio do caminho, em termos de cronogramas de testes e lançamento, em comparação com drogas novas, criadas “do zero”.
Mais cedo, a Gilead Sciences havia informado que o estudo havia chegado aos primeiros resultados, mas não deu mais detalhes. As autoridades de saúde dos EUA devem divulgar os resultados completos dos testes, conduzidos pelo Instituto Nacional de Alergias e Doenças Infecciosas do país, ainda nesta quarta-feira.
A notícia influenciou mercados no Brasil e nos Estados Unidos. Por volta das 16h30, o Ibovespa, principal índice de ações da bolsa brasileira, subia 2,54%, no mesmo patamar em que operou ao longo de quase todo o dia. Nos Estados Unidos, também operam em alta o S&P 500 (+3,15), o Dow Jones (+2,54%) e o Nasdaq (+3,96%). As ações da Gilead Sciences, fabricante do remdesivir, operam em alta de 6,76%.
Para o analista Henrique Esteter, da Guide Investimentos, há uma dupla correlação entre a alta no Ibovespa e as notícias positivas sobre o remédio da Gilead Sciences:
“[Os testes com bons resultados] trazem perspectivas positivas em termos de volta da atividade econômica, pois a partir do momento em que há um remédio que demonstra eficiência no combate ao vírus, todos se sentem mais confortáveis em terminar a quarentena e retomar atividades”, explica. E, segundo ele, a alta que os testes geram nas bolsas americanas também é, em si, um impulso ao Ibovespa.
Esteter também destaca a influência, sobre o pregão, da expectativa do mercado com relação à manifestação do Fed, o banco central americano, na tarde desta quarta-feira. Nos primeiros comentários divulgados à imprensa após um encontro virtual entre diretores da entidade, o diretor do Fed, Jerome Powell, reafirmou o compromisso em tomar atitudes fortes para recuperar a economia.
Segundo ele, esse compromisso da autoridade monetária americana também colabora para trazer o Ibovespa de volta ao patamar anterior à demissão do ex-ministro Sérgio Moro, na última sexta-feira.
“O Fed já vem cortando taxas há um bom tempo; o mais importante nessa divulgação vai ser a mensagem que o órgão vai trazer em termos de economia, ou seja, de qual a visão deles a respeito do futuro. O banco central americano consegue ter uma visão muito mais profunda do que a dos 'players' de mercado, então a ata, hoje, vai ser fundamental.”

Fonte: Valor Investe

Nenhum comentário:

Postar um comentário