sexta-feira, 27 de dezembro de 2019

Grupo que assumiu ataque à sede do Porta dos Fundos agiu na UniRio em 2018

A polícia investiga se o ataque à produtora Porta dos Fundos, na madrugada de quarta-feira, no Humaitá, foi realizado pelas mesmas pessoas envolvidas no furto de bandeiras “antifascistas” no campus da UniRio, na Urca, em dezembro do ano passado. Em comum entre os dois casos, um grupo autodenominado “Comando de Insurgência Popular Nacionalista” da “Grande Família Integralista Brasileira” reivindicou os ataques. A Frente Integralista Brasileira, principal organização de defesa do integralismo atualmente, nega qualquer relação com eles.
“Já existia no passado esse grupo que tinha praticado um ato que foi apurado, mas pode ser que (no caso Porta dos Fundos) seja um grupo de pessoas diferentes que diz pertencer àquele grupo”, afirmou Fabio Barucke, subsecretário Operacional da Polícia Civil, sem citar qual o caso anteriormente investigado. Este caso foi o furto das bandeiras na UniRio.

Fonte: Blog do BG

Nenhum comentário:

Postar um comentário