segunda-feira, 5 de agosto de 2019

Número de homicídios caiu no início do segundo semestre, aponta governo


Nos seis primeiros meses de 2018, 383 vidas foram interrompidas a mais que 2019
Números divulgados na última sexta-feira, 2, pela Secretaria Estadual de Segurança Pública e Defesa Social (Sesed) apontam que o início do segundo semestre deste ano registrou diminuição nas estatísticas de homicídios, quando comparadas aos mesmos dados do ano passado.Os números, divulgados pela Coordenadoria de Informações Estatísticas e Análise Criminal (Coine), apontaram uma redução de 383 casos nas estatísticas até o mês de julho.
Entre os indicadores, a Secretaria destacou a redução em ocorrências diretas contra a juventude. De janeiro a julho de 2019, em comparação ao mesmo período do ano anterior, houve uma diminuição total de 34,1%. O período etário que apresentou a maior subtração foi entre 16 e 17 anos, quando o estado saiu de 89 casos em 2018, para 49 registros em 2019 (44,9% de redução).
Outro importante quesito de redução ocorreu em municípios considerados polos no Rio Grande do Norte, são eles Natal, Mossoró e Parnamirim. Na capital potiguar houve a maior diminuição desde 2015, com índice 45,7% casos a menos. Em 2018, foram 322 ocorrências, 147 a mais do que em 2019, quando foram registradas 175. De acordo com a Coine, Natal ficou, ainda, oito dias sem nenhuma ocorrência de CVLI durante o mês de julho. Além de Natal, Mossoró reduziu em 26,2% as suas ocorrências na comparação entre 2018 e 2019, dado semelhante ao registrado em Parnamirim, com uma redução de 27,9%.
De acordo com o secretário da Sesed, coronel Francisco Araújo, as significativas reduções em 2019 têm relação com alguns fatores, que foram explanados por ele.
“Melhor planejamento e integração das forças policiais, tanto as estaduais, municipais, quanto federais que atuam no RN (PF, PRF e ABIN), guardas municipais, além das Forças Armadas, maior apoio do Poder Judiciário e Ministério Público Estadual”, disse o secretário, completando:
“Também o compromisso e a abnegação dos policiais no cumprimento das missões. Maior controle do sistema prisional e o apoio inconteste do Governo do Estado a todas as ações dos órgãos do sistema de segurança pública”, concluiu Araújo.

Fonte: Agora RN

Nenhum comentário:

Postar um comentário