segunda-feira, 17 de setembro de 2018

MPF denuncia português por lavagem de dinheiro do tráfico de drogas em Natal

Um português foi denunciado pelo Ministério Público Federal por lavar dinheiro do tráfico de drogas em Natal e na Região Metropolitana da capital. Rui Jorge Pimentel Rodrigues Pereira, também conhecido como Rui Carolas, foi extraditado em março e está preso em Lisboa.
Contudo esta denúncia do MPF trata de um desdobramento da prisão. “Diante de todas as provas (...), é incontestável que o patrimônio de Rui Jorge decorreu do tráfico internacional de drogas e que o denunciado buscou ocultar e dissimular a origem ilícita de seus bens ao registrá-los em nome de interpostas pessoas, ao utilizar empreendimento comercial para 'lavar' o dinheiro oriundo do crime ou mesmo ao fazer uso de cartões de crédito titularizados por sua companheira”, concluiu o MPF.
Ainda segundo o Ministério Público Federal, entre 2012 e 2015, ele adquiriu na Grande Natal imóvel e diversos carros de luxo com o dinheiro ganho ilegalmente através de atividades ilícitas. O MPF afirma que o português traficava entorpecentes no Brasil e também em Portugal.
Em novembro de 2013 Rui Jorge comprou, por meio da companheira, um lote no Condomínio Green Club III, em Parnamirim, construiu sua casa e residia nesse local até ser preso em 2015.
Em março de 2014 ele comprou, com o nome falso de Rui da Silva Pereira, um veículo de luxo Durango Crew, por R$ 170 mil. Já em agosto do mesmo ano, abriu o Plenarium Café Bistrô, localizado no bairro de Lagoa Nova, na capital potiguar. Ainda de acordo com o MPF, ele utilizou a empresa para lavar o dinheiro ilícito e também simular a existência de renda compatível com o padrão de vida que levava.
Em 12 de agosto de 2015 - em uma fiscalização de rotina da Polícia Rodoviária Federal de Mamanguape, na Paraíba -, Rui Carolas se apresentou com CNH, CPF, RG e carteira de reservista falsos, em nome de Rui da Silva Pereira, que seria brasileiro nato. Os policiais desconfiaram do nervosismo e do forte sotaque. Ao realizar busca no veículo, encontraram uma mala com R$ 92 mil em espécie e logo descobriram o nome verdadeiro do suspeito, foragido da Justiça de Portugal, onde já havia sido condenado por tráfico de drogas e porte de armas.
Preso em flagrante, também foi denunciado e condenado no Brasil por falsidade ideológica, a três anos e três meses de reclusão, substituídos por penas alternativas. Quando do oferecimento da ação por falsidade, o MPF solicitou a instauração de novo inquérito policial para apuração dos indícios da prática de crimes de lavagem de dinheiro, o que resultou nesta nova denúncia.
Em Portugal, Rui Jorge foi flagrado no ano de 2000 com cerca de 6,3 kg de heroína, 58 gramas de cocaína, 4 kg de haxixe e 425 comprimidos de “ecstasy”. Naquele país, foi condenado a dez anos e seis meses. “(...) há fortes elementos de prova de que o denunciado se dedica ao tráfico internacional de drogas há duas décadas”, aponta o MPF.

Fonte: G1 RN

Nenhum comentário:

Postar um comentário